Partners Comunicação Pro Business

Google Fotos

Google Fotos: Como vai funcionar o fim do upload ilimitado

Os smartphones apresentam tecnologia cada vez mais avançada, e alguns deles possuem câmeras com excelente qualidade. É inevitável tirar várias fotos durante o dia, o que lota a galeria dos aparelhos. Os aplicativos de troca de mensagens e redes sociais também são intensas fontes de recebimento de fotos e vídeos.

Um grande aliado dos usuários é o Google Fotos. O aplicativo permite a sincronização com a galeria do celular e o armazenamento de vídeos e imagens na nuvem, em alta definição. Ou seria melhor dizer que “era um grande aliado”? Isso porque, a partir de junho de 2021, o upload de arquivos não será mais ilimitado.

Em tempos de alta taxa de compartilhamento de arquivos na internet, o armazenamento de dados é muito valioso. Serviços de comunicação e upload na nuvem ganham protagonismo no mercado, não só entre usuários comuns, mas também entre empresas que se utilizam dessas plataformas para gerenciar e compartilhar arquivos e documentos. Neste post, você entenderá melhor essa mudança, como se preparar para ela e, claro, conhecerá alternativas para continuar armazenando fotos, sem esgotar a memória do celular.

Quais são os diferenciais do Google Fotos?

A versão atual do Google Fotos possui inúmeros benefícios e, não à toa, conta com tantos usuários, que armazenam mais de 4 trilhões de fotos e vídeos a cada semana, segundo a empresa detentora da aplicação. O aplicativo oferece (até a data da mudança) armazenamento ilimitado, gratuito, que preserva a qualidade original dos arquivos e ainda faz o upload de forma rápida, o que facilita a experiência do usuário.

Como será a mudança na prática?

Todos os serviços oferecidos pela empresa, como Google Drive e Gmail, possuem um limite de 15GB de armazenamento gratuito. O diferencial do Google Fotos é que o aplicativo não conta com esse limite, o que permite o upload ilimitado de suas fotos, vídeos, memes, prints e tudo mais que você recebe e faz todos os dias em seu smartphone.

Mas, a partir do dia 1º de junho de 2021, infelizmente, esse privilégio acabará. O serviço de armazenamento de vídeos e fotos passará a contar apenas com os 15GB de limite. É compreensível que, com a evolução do Google Fotos e a popularização do aplicativo, a empresa enxergue uma oportunidade para capitalizar.

A boa notícia é que os backups de arquivos feitos até 1º de junho de 2021 não serão afetados e continuarão sem consumir o limite de armazenamento da sua conta. Além disso, é muito fácil saber o estágio de ocupação do limite de armazenamento, seja o gratuito ou o que pode ser contratado, porque o aplicativo oferece uma estimativa personalizada. Caso o limite seja ultrapassado, os arquivos enviados após o dia 1º de junho podem ser apagados ou alterados.

Alternativas ao Google Fotos

Se a opção for permanecer utilizando o Google Fotos, mesmo após a alteração do dia 1º de junho, uma boa alternativa é assinar o Google One. O plano mais básico custa R$ 6,99 por mês, ou R$ 69,99 no pagamento anual, e oferece 100GB de armazenamento. A opção de limite mais alto de armazenamento é de 2TB, que sai por R$ 34,99 por mês ou R$ 349,99 ao ano.

Um serviço de armazenamento e compartilhamento de arquivos na nuvem pode ser um bom investimento para empresas que buscam otimizar os processos digitais. Mas, se gastar com armazenamento de arquivos na nuvem não está dentro de seu orçamento, existem alguns aplicativos no mercado que oferecem o serviço de forma gratuita e com planos pagos.

Dropbox

– Limite de 2GB de armazenamento no plano gratuito.

– Plano mensal de US$ 9,99, com 2TB de espaço.

 

Flickr

– Limite de 200MB (fotos) e 1TB (vídeos) no plano gratuito.

– Planos mensais pagos por US$ 5,99, US$ 7,99 e US$ 21,99.

 

iCloud (Apple)

– Limite de 5GB de armazenamento gratuito para usuários da Apple.

– Plano mensal pago por R$ 3,50, para 50GB de espaço.

 

OneDrive (Microsoft)

– Limite de 5GB de armazenamento gratuito.

– Plano pago por R$ 9 para 100GB de espaço.

 

Para quem quer economizar, é possível espalhar seus arquivos entre várias plataformas de armazenamento, embora dê muito mais trabalho de organização.