Partners Comunicação Pro Business

tendências de marketing e branding

6 tendências de mercado: você tem repensado sobre seu marketing e branding?

O começo do ano representa novas chances e possibilidades para empresas. Essa é a hora de fazer um balanço geral e estudar com atenção as estratégias que funcionaram , ou não, para seu negócio no último ano. Também é o momento de planejar o futuro. Sendo assim, preste atenção nestas 6 tendências de mercado.

Afinal de contas, dessa maneira é possível encontrar caminhos para se destacar frente aos concorrentes e suprir demandas que surgem com as mudanças de hábitos e preferências do consumidor, independentemente do segmento de atuação.

Por isso mesmo, reunimos as principais tendências para 2019 tanto na comunicação empresarial quanto em branding e ao marketing. Então, continue a leitura e repense suas estratégias agora mesmo!

Tendências de marketing digital

Uma campanha de marketing bem-executada aumenta a demanda por qualquer produto ou serviço. Mas os tempos mudaram e, hoje em dia, é essencial marcar presença online. Com ferramentas de inteligência artificial e Big Data, espera-se uma comunicação muito mais personalizada e imediatista.

Confira as principais tendências sobre o tema a seguir!

1. Produção de conteúdo

Não é segredo para ninguém que campanhas tradicionais, sozinhas, não têm mais tanto impacto nas decisões do consumidor. Tanto é que estratégias com influenciadores e inbound marketing entraram na rotina da maioria dos profissionais de marketing. Em 2015, a Nielsen publicava um estudo mostrando que as quatro fontes mais confiáveis na hora de pesquisar um produto eram pessoas conhecidas, branded sites, sites editoriais e reviews.

Isso não mudou tanto assim de lá para cá. E uma das tendências de mercado para o próximo ano é que o conteúdo ganhe ainda mais força. Porém, aliando criatividade a dados.

A própria VP de Marketing da Adobe, Stacy Martinet, deu uma entrevista explicando que, ao usar dados como embasamento para o time criativo, é possível trabalhar de forma mais produtiva, criar conteúdo mais rápido e entregá-lo para o consumidor certo, pelos canais corretos e em perfeito timing.

Portanto, essa é a hora para aproximar as duas equipes. Além disso, também é importante refinar os métodos de pesquisa e análise de dados, valendo-se de várias fontes para um resultado mais efetivo. E tal união se traduz em um conteúdo personalizado, que dá a impressão de ser feito especialmente para cada consumidor.

Por exemplo, se você atua na advocacia, pode criar uma série de conteúdos mostrando os cuidados que um empreendedor deve ter ao contratar colaboradores e se proteger judicialmente de qualquer imprevisto. Esse conteúdo atingirá exclusivamente donos de startup, que receberão as informações de bom grado e lembrarão da sua empresa quando precisarem de aconselhamento ou outros serviços.

O Burger King da Espanha fez uma ótima ação nesse sentido, usando a enquete do Instagram Stories para que os clientes construíssem Whoppers personalizados e, depois, recebessem cupons promocionais para experimentar suas criações nas lojas.

2. Live videos

Em 2017, o YouTube divulgou a segunda edição do YouTube Insights com alguns dados especialmente relevantes para quem trabalha com marketing. Só no Brasil, são 98 milhões de usuários mensais, com um aumento significativo de 55,5% em dois anos.

Não por acaso, os vídeos, sejam eles postados no Instagram, Facebook, YouTube ou em seu próprio site, mostram-se ferramentas poderosas de marketing. Apoiados em dados, são capazes de reunir um grande volume de informações e demonstrar a personalidade de sua marca.

Uma das tendências de mercado é o live video, que cresce junto de serviços de streaming. Assim, combinado com estratégias de co-criação com influenciadores de nicho, são potencializados.

Essa espontaneidade e interatividade com o público pode ser benéfica até mesmo (e principalmente) para áreas de trabalho mais sérias. O juridiquês, por exemplo, pode ser explicado de forma bem mais simples e objetiva, tirando as principais dúvidas de clientes.

Tendências em branding

Empresas com um propósito claro destacam-se das demais, permitindo que as pessoas se conectem com elas. Por isso, é cada vez mais importante que marcas gerem valor, e não apenas lucro. Acompanhe, portanto, as tendências em branding para ter insights do que pode ser implementado em seu negócio!

3. Employer branding

Enquanto os consumidores buscam mais vínculos e verdade nos discursos das marcas, é natural que as estratégias de branding voltem-se também para os colaboradores. Afinal, são eles que estão em contato direto com os clientes e, portanto, assumem a tarefa de transmitir seus valores e missão por meio de gestos e estratégias.

É nesse sentido que o employer branding toma fôlego como tendência em 2019. Tal conjunto de iniciativas tem como objetivo principal elevar o nível de satisfação dentro das equipes, a fim de atrair os melhores talentos e aumentar a retenção.

Espera-se que, daqui para frente, essas estratégias caminhem junto aos esforços de consumer branding, unificando possíveis colaboradores e clientes. Além disso, as pessoas querem conhecer histórias reais em campanhas, especialmente as focadas no público interno.

Outro ponto a ser considerado é a criação e manutenção de comunidades para os possíveis e atuais colaboradores, permitindo que se conectem e troquem experiências entre si.

4. Brand safety

Em bom português, brand safety nada mais é que a “segurança da marca”. Ou seja, uma série de ações colocadas em prática para blindar a imagem de sua empresa durante uma campanha.

No ambiente digital, isso é ainda mais importante. Afinal, com a mídia programática, havia pouco controle sobre onde os anúncios online eram exibidos. Dessa forma, acontecia de aparecerem em um contexto desfavorável à campanha.

Por exemplo, imagine que um portal de notícias faça a cobertura de algum escândalo envolvendo traição. Ao lado, vemos a campanha de um banco, trazendo aquela tradicional família feliz. Chega a ser irônico, não é mesmo?

Por isso, a tendência é que mais medidas sejam tomadas para aumentar a transparência nas negociações. Algumas gigantes do mercado, como a WPP e a Omnicom, prometem auditar vídeos e dar uma pontuação a fim de facilitar o lado das empresas. Há também alguns filtros em plataformas para impedir a veiculação em sites com conteúdos sensíveis.

Tendências em comunicação empresarial

Por fim, trazemos mais duas tendências de mercado, focando também em estratégias voltadas para o público interno. Afinal, hoje é impensável pensar apenas na relação com o público final se quiser passar autenticidade.

5. Treinamentos remotos

Oferecer treinamentos para seus colaboradores é uma prática que aumenta a produtividade e permite padronizar processos, mas ainda colabora com o engajamento da equipe. Muitas vezes, o treinamento pode sair caro para a empresa, com todos os custos envolvidos, incluindo o de mobilidade.

Por isso mesmo, os treinamentos remotos surgem como alternativa viável. Com eles, os colaboradores podem acompanhar aulas de onde estiverem, até mesmo com o uso do mobile. Gigantes como a Google são adeptas e conseguem manter o ambiente de trabalho mais criativo.

6. Gamificação

A gamificação, ou, em inglês, gamification, prevê o uso de mecanismos de jogo para aumentar o engajamento, resolver problemas e motivar comportamentos. Ela pode ser utilizada para o público final, mas o mais comum é acompanhar sua aplicação para o público interno.

Essa estratégia prevê recompensas para quem realiza tarefas pré-determinadas. Também costuma empregar um programa de pontos, criação de um placar de líderes, desafios e badges.

Assim, torna-se possível mensurar o desempenho individual ou de equipes, além de incentivar a competição saudável entre seus colaboradores.

É claro que, antes de adotar qualquer uma dessas tendências de mercado, é necessário entender as necessidades e verbas de sua empresa, além de traçar objetivos bem-definidos. Caso contrário, corre-se o risco de apostar em uma tendência que não será realmente efetiva, só por estar em alta.

E então, sua empresa já adotou alguma dessas tendências? Compartilhe este conteúdo em suas redes sociais para inspirar colaboradores e repensar a comunicação!