Partners Comunicação Pro Business

O que responsabilidade social empresarial?

Responsabilidade social empresarial: o que representa para os negócios?

As grandes e mais reconhecidas empresas do mercado apresentam um ponto em comum: responsabilidade social empresarial. E isto está diretamente ligado às estratégias de aproximação com um público cada vez mais consciente e engajado.

Mais do que uma questão mercadológica, a preocupação com o bem-estar social e o meio ambiente por parte de qualquer empresa é uma questão de humanidade.

Por isso, neste artigo, trouxemos tudo que você precisa saber sobre a responsabilidade social empresarial e como ela pode afetar o seu negócio. Confira!

O que é responsabilidade social empresarial?

A responsabilidade social empresarial nada mais é do que um conjunto de ações e iniciativas tomadas pelas empresas buscando, de maneira completamente voluntária, contribuir com questões de ética, meio ambiente e a sociedade.

Essas iniciativas integram os aspectos citados com as partes envolvidas, como colaboradores, fornecedores, o governo e os cidadãos.

A Responsabilidade Social Empresarial, ou SER, visa o alcance de objetivos empresariais convergentes com práticas de desenvolvimento sustentável e responsável, em um relacionamento com a comunidade de benefício mútuo para ambas as partes.

Diferentemente das políticas de doação e contribuição financeira com entidades de caridade e assistência social, a responsabilidade social empresarial vai muito além de ações filantrópicas.

Ela trata de uma relação ética em todas suas ações, práticas, políticas, valores e até mesmo na forma como uma empresa se comunica.

Dessa forma, diferentemente das práticas de doação, que acontecem esporadicamente e em períodos estratégicos, a responsabilidade social empresarial é um valor que é posto em prática de maneira perene e constante em todos os momentos e modos de atuação da empresa.

A importância para um negócio sobreviver

O tema da responsabilidade social empresarial é visto por muitas empresas como um entrave. Afinal de contas, em momentos de grande concorrência e possíveis cenários de crise, o investimento com o compromisso social pode parecer um verdadeiro fardo.

Esse pensamento é completamente compreensível, uma vez que as práticas socialmente responsáveis demandam certos gastos que, sem uma gestão estratégica, podem parecer desnecessários.

Assim, pensando em conjunto com o cenário permanente de crise e concorrência predatória que domina o mercado atual, pode parecer paradoxal investir em responsabilidade social, mas, na verdade, esse tipo de investimento pode ser o passo fundamental para garantir a sobrevivência da empresa.

Nos últimos tempos, a percepção das pessoas com relação às marcas e às empresas mudou consideravelmente. Se há alguns anos os objetivos de marketing eram focados apenas no aumento dos lucros e das vendas, hoje é necessário pensar além.

Essa nova percepção do público trouxe a necessidade de que uma preocupação social se sobreponha às aspirações puramente financeiras.

Investir no lado social é, hoje, uma maneira de investir no próprio crescimento do público consumidor da empresa. É garantir que cada vez mais pessoas tenham o direito e a possibilidade de consumir tais produtos, gerando uma situação de benefício mútuo.

Marketing social

Já há algum tempo a imagem empresarial vem sofrendo uma forte mutação. Hoje, principalmente com o crescimento da importância do ativismo online, atitudes negativas de uma empresa ganham tanto ou maior destaque do que os aspectos positivos.

É por isso que o entendimento acerca do marketing social vem ganhando tanta importância.

Termo cunhado na década de 1970 pelo pai do marketing, Philip Kotler, o Marketing Social surgiu quando o mesmo percebeu que os principais aspectos do marketing tradicional poderiam se aplicar também para causas sociais e na propagação e difusão de ideias e comportamentos.

Assim, toda campanha de marketing social tem como principal objetivo atenuar situações de desigualdade ou, até mesmo, eliminar problemas de cunho social.

Num geral, estão ligadas a questões como a saúde pública, os transportes, a moradia, a fome, o trabalho e a educação.

Já muito comum em organizações sem fins lucrativos e órgãos públicos, o marketing social apresenta campanhas voltadas para a conscientização da população.

Campanhas de doação de sangue, vacinação e outras causas sociais são frequentemente divulgadas em peças de marketing.

Algumas instituições, como os Médicos Sem Fronteiras, utilizam-se frequentemente das campanhas de marketing social para conseguir as doações que ajudam a bancar suas missões.

Sem dúvidas você já viu, em algum momento, algum comercial dessa ONG internacional na televisão.

Para as empresas que não têm um objetivo final voltado puramente para a assistência social, o marketing social é uma ferramenta utilizada para divulgar e difundir as práticas de responsabilidade social empresarial.

Ou seja, a ideia não é reverter o alcance dessas campanhas em um aumento das vendas e dos lucros do negócio, mas sim chamar a atenção para alguma causa social ou mesmo para algum programa ou ação executados por esse negócio.

Esse tipo de campanha acontece, principalmente, quando as empresas (geralmente as de maior porte) divulgam suas fundações, com o objetivo de aumentar o alcance das ações benéficas praticadas por elas.

Indiretamente, este tipo de marketing funciona como um fortalecimento positivo do branding do negócio, que associa o seu nome a esse tipo de ação social.

As diferenças para responsabilidade ambiental

Quando falamos em responsabilidade social de uma empresa, geralmente fazemos referência às práticas e ações que um negócio pode fazer para impactar positivamente a sociedade. Isto está ligado, geralmente, ao bem-estar das pessoas, como um compromisso de comportamento ético e que vise o desenvolvimento econômico e da qualidade de vida de seus funcionários, da comunidade em que a empresa está inserida e da sociedade como um todo.

Assim, a qualidade dos produtos comercializados ou dos serviços prestados, a ética e a moral envolvidas nas ações tomadas pela empresa e mesmo a atuação em temas sensíveis à sociedade, todos estes aspectos dizem respeito à responsabilidade social de uma empresa.

Quando falamos de bem-estar social e responsabilidade com o desenvolvimento sustentável, é impossível não tocar no assunto do meio ambiente. A preocupação ambiental é inerente à responsabilidade social empresarial, englobando tanta importância que também pode ser vista como um universo a parte.

Um negócio com responsabilidade ambiental empresarial está, indiretamente, também sendo socialmente responsável. Adotar práticas que não agridam o meio ambiente, sendo sustentáveis e voltadas para o Marketing Verde é uma maneira de atuar neste sentido.

Entretanto, assim como a responsabilidade social, a responsabilidade ambiental precisa estar presente em todas as esferas da empresa. É crucial que exista um planejamento que foque em estratégias e políticas ambientais sérias, que realmente coloquem em prática as ideias de preservação ambiental. Neste sentido, é preciso atuar da abolição do copo plástico à não realização de testes em animais, no laboratório.

Assim, é preciso que as práticas de responsabilidade social e ambiental estejam alinhadas, de modo a beneficiarem uma à outra, mantendo a coerência dentro do ambiental da empresa.

Vale ressaltar que, principalmente as preocupações de cunho ambiental, vêm ganhando forte destaque na sociedade nos últimos anos, com a atuação de grupos e ONG’s que atuam nessa esfera, como o Greenpeace. Dessa forma, adotar práticas ambientalmente sustentáveis está se tornando praticamente uma obrigação para qualquer empresa nos dias de hoje.

Enquanto as práticas de responsabilidade ambiental podem exercer determinada influência na esfera social, é fundamental entender as diferenças entre elas. Apesar de “andarem de mãos dadas”, as duas esferas da responsabilidade empresarial atuam de maneira diferente.

Isso porque o lado social é aplicado diretamente no bem-estar do público, já a preocupação ambiental deve ser inserida em toda a cadeia produtiva, gerando resultados sustentáveis.

As vantagens de ter uma marca socialmente alinhada

Empresas que apresentam um verdadeiro senso de responsabilidade social empresarial colhem seus frutos ao longo de todo o processo, além de ganharem o prestígio da população e do mercado. A seguir, citamos as principais vantagens de ser uma empresa socialmente responsável.

Imagem positiva

Uma empresa é, no mercado, a maneira como o público a enxerga. Apresentar uma postura de responsabilidade social faz com que essa imagem se torne extremamente positiva, afinal de contas isso é demonstrar uma preocupação com a sociedade na qual este negócio se insere.

Como apresentamos no tópico sobre responsabilidade ambiental, o público está se tornando cada vez mais atento às boas e más práticas das empresas, escolhendo aquelas que se preocupam de verdade com o bem-estar social.

Fidelização

Neste cenário de constante avaliação das ações tomadas pelas empresas, por parte dos consumidores, aquelas que demonstram estar socialmente alinhadas às boas políticas acabam por fidelizar esses clientes que valorizam a responsabilidade social. E não há nada que qualquer empresa queira mais do que clientes fidelizados.

Contribuição social positiva

Mais do que estratégia de marketing, ser uma empresa que apresenta posturas socialmente responsáveis é ser uma empresa que contribui verdadeiramente para a sociedade em que está inserida. Não custa nada lembrar que todos estamos no mesmo planeta e é dever de cada um agir para tornar o mundo um lugar melhor.

Retenção dos melhores funcionários

Independentemente do porte da empresa, é um fato que todas querem contar com a melhor equipe de colaboradores e funcionários que for possível. E ser um negócio socialmente responsável significa priorizar os direitos dos cidadãos, a qualidade de vida da população e o bem-estar de todos.

O resultado é fácil de entender: os melhores membros da sua equipe pensarão duas vezes antes de aceitar qualquer proposta da concorrência, pois valorizam as atitudes tomadas pela sua empresa.

Motivação da equipe

Assim como a responsabilidade social empresarial ajuda a reter os melhores colaboradores no seu quadro de funcionários, ela também auxilia enormemente na manutenção de um moral alto e na motivação da equipe. E uma equipe motivada rende muito mais.

Aumento da produtividade

Colaboradores que valorizam as ações da empresa onde trabalham e se sentem motivados só podem significar uma coisa: aumento da produtividade. Um bom ambiente de trabalho, que valoriza o bem-estar interno e externo é a chave para que seja possível produzir muito mais, gerando um aumento indireto nos lucros.

Diferencial competitivo

Todo esse cenário positivista faz com que a empresa consiga se portar de maneira muito mais forte no mercado, principalmente frente aos seus principais concorrentes. Em um mundo no qual todos os detalhes se tornam armas na guerra competitiva, apresentar uma postura socialmente responsável faz toda a diferença perante um público engajado e antenado. E isso é ter inteligência competitiva.

Atração de bons parceiros

Nenhuma empresa funciona bem se não puder contar com bons parceiros e fornecedores. Deixar público suas ações de responsabilidade social empresarial faz com que aqueles parceiros que têm um pensamento alinhado com sua empresa e que queiram colaborar com a causa social em questão se aproximem ainda mais.

Em um ciclo virtuoso, cada um desses pontos contribui para o crescimento do próprio negócio. Assim, ao mesmo tempo em que é possível dizer que a empresa contribui realmente para a melhoria do mundo, seja em escala local ou global, podemos perceber que, comercialmente, a marca pode se beneficiar enormemente com este tipo de ação.

Retornos em branding a curto e longo prazo

Agora que você já sabe quais são os principais benefícios trazidos pela aplicação de uma postura socialmente responsável nas esferas interna e externa, é a hora de entender como ela impacta o branding da sua empresa.

Diferentemente da marca, o branding inclui um universo muito mais extenso. Ele diz respeito à gestão de marcas, outro nome pelo qual conhecemos o branding aqui no Brasil. No planejamento estratégico de marketing, o branding contempla o conjunto de ações e estratégias que contribuem para a construção de uma percepção muito maior do público em relação à marca da empresa.

Ele nada mais é do que a identidade da sua marca, que diz respeito não apenas ao símbolo gráfico que representa a empresa, mas também à maneira como ela funciona e como ela se relaciona com o público. Percebe as semelhanças com a aplicação das ações de responsabilidade social empresarial?

A verdade é que, da mesma maneira que o branding é a ideia da marca aplicada em todos os aspectos da empresa, a responsabilidade social deve ser aplicada em todos estes cenários.

Por isso, estão intimamente ligados e interagem entre si quando se coloca o planejamento em ação. Os retornos de uma política de responsabilidade social sobre o branding podem, então, acontecer em curto ou longo prazo.

Dentre todos os benefícios citados anteriormente, podemos destacar a melhora no ambiente de trabalho, a motivação da equipe, a retenção dos melhores funcionários e a produtividade como aspectos que se alteram em curto prazo. Isso porque são percebidos mais rapidamente no ambiente interno, o que resulta em um pacote de benefícios facilmente observáveis.

Já o cenário das vantagens externas, principalmente perante o público consumidor e às outras empresas, costuma vir a longo prazo. Por isso, é fundamental que as políticas e estratégias pensadas e elaboradas visando a prática da responsabilidade social sejam praticadas diária e verdadeiramente, de modo a construir uma percepção positiva do público externo sobre a marca.

É justamente por isso que as ações de filantropia esporádica não costumam funcionar efetivamente como uma postura de responsabilidade social. Afinal de contas, não acontecem com a frequência necessária para serem percebidas como uma mudança de postura, não resultando em um retorno de longo prazo.

Ações de responsabilidade social

Agora que você já sabe o que é a responsabilidade social empresarial — e quais são os benefícios que ela pode trazer para o seu negócio —, é hora de entender de que maneira ela pode ser colocada em prática. Para isso, listamos aqui algumas ações que podem ser tomadas pela sua empresa.

Práticas de responsabilidade ambiental

Como explicamos, as faces social e ambiental andam juntas e contribuem uma com a outra. Por isso, nada mais justo que iniciar citando algumas ações de cunho ambientalista que podem ser tomadas:

  • eliminação de copos descartáveis;
  • redução de impressões em papel;
  • reutilização de rascunho em blocos de anotação;
  • consumo consciente de água e energia;
  • uso de lâmpadas mais econômicas;
  • separação de lixo reciclável.

Recreação para a comunidade

Práticas de recreação são uma ótima maneira de fazer sua empresa se engajar nas ações de responsabilidade social, levando benefícios para a comunidade na qual a mesma se insere e cativando a população mais próxima.

Isso pode ser feito por meio do aproveitamento de datas especiais, ao longo dos anos, para a realização de eventos e campanhas em parceria com outras empresas ou mesmo de maneira independente. A data mais utilizada é o dia das crianças, com a criação das “Ruas de Lazer”, que fazem a alegria dos pequenos.

Festa junina e ações de Natal também são uma ótima oportunidade de criar algum tipo de ação recreativa para o envolvimento da população local.

Incentivo à leitura

No ambiente interno da empresa, podemos citar o incentivo às práticas culturais, como a criação de uma biblioteca própria com um espaço exclusivo voltado para os funcionários. Dependendo do porte da empresa, isso pode ser feito até mesmo externamente, com o apoio a bibliotecas públicas, por exemplo.

Suporte a casas de apoio

Orfanatos e asilos enfrentam uma realidade muito difícil no Brasil. Sobrevivendo por meio de doações e da solidariedade da população, essas instituições carentes precisam não apenas de apoio financeiro, mas também de cuidado humanitário.

Promover visitas para as crianças e idosos que vivem nessas casas de apoio e que enfrentam o abandono e a falta de amor e carinho pode fazer uma enorme diferença para elas. Fazer o bem para essas pessoas é mais do que agir estrategicamente dentro da empresa, é demonstrar um lado humano extremamente necessário nos dias de hoje.

Como incluir a responsabilidade social no seu planejamento?

Como o próprio tópico já diz, tudo é uma questão de planejamento. E a aplicação das ações de responsabilidade social empresarial também devem ser muito bem planejadas. Primeiramente, é fundamental entender a importância dela e quais os deveres e os benefícios que virão com a inclusão da mesma na rotina da empresa.

Assim, antes de esperar que qualquer órgão público venha demandar ações de responsabilidade social, é preciso se estruturar para aplicar esse conceito de maneira real e sustentável dentro da empresa. Por isso, alinhar essa postura socialmente responsável na visão, missão e valores do seu negócio é o primeiro passo para planejar essas ações.

Mesmo que a expectativa seja apenas a melhora da imagem da empresa perante o público, é necessário alinhar a responsabilidade social com a governança corporativa, de modo que haja um entendimento generalizado sobre sua importância. Afinal de contas, as ações que serão tomadas interferirão diretamente nas regras da governança, fazendo com que a própria rotina de trabalho se altere.

Assim como qualquer planejamento empresarial, a inclusão da responsabilidade social em uma empresa demanda uma sinergia perfeita entre as equipes de comunicação estratégica. É por meio delas que as ações sociais serão difundidas interna e externamente.

Dessa forma, para incluir as práticas socialmente responsáveis em um planejamento estratégico, é preciso encará-las como parte das atividades fundamentais da empresa, incluindo-as no calendário e na rotina de trabalho. Apenas com a naturalização dessas ações é possível entendê-las como algo para além de qualquer obrigação ou compensação frente as demandas da população ou dos órgãos públicos.

Exemplos de empresas que levam a responsabilidade social a sério

Existem centenas de grandes empresas no Brasil e no mundo que levam em frente diversas práticas de responsabilidade social, criando uma imagem de credibilidade e transparênciaque perdura no mercado e na sociedade. Abaixo, citamos alguns exemplos de negócios e suas respectivas ações sociais:

  • o Bradesco, uma das principais instituições financeiras do país, oferece aulas de educação financeira à população de baixa renda;
  • a Amanco prioriza a utilização de matéria-prima de baixo impacto ambiental em seus produtos;
  • a gigante dos cosméticos, Natura, oferece treinamento a famílias para a extração de óleos vegetais na floresta;
  • o grupo Unilever alterou a composição do sabão “Omo” para diminuir a emissão de gases estufa;
  • a embalagem da margarina Bunge agora é biodegradável;
  • a Tesla, única montadora de carros elétricos no mundo, é pioneira na realização de viagens de grandes distâncias em veículos movidos por eletricidade, com estações de recarga de veículos em vários pontos dos Estados Unidos;
  • o banco Itaú espalhou, em diversas cidades do Brasil, pontos de bicicleta de baixo custo, incentivando o transporte alternativo.

A responsabilidade social empresarial é uma iniciativa voluntária e de cunho beneficente, mas que deveria ser encarada como uma obrigação por qualquer empresa séria e responsável.

Mais do que seguir qualquer legislação vigente, fazer o bem por quem precisa é uma atitude nobre e que pode fazer toda a diferença para a sociedade.

E aí, curtiu nosso artigo especial? Se tiver qualquer dúvida ou quiser o apoio de uma agência especializada, não deixe de entrar em contato com a Partners!