Partners Comunicação Pro Business

Fake News

Comunicação empresarial e fake news: como evitar problemas?

A internet se popularizou a partir dos anos 90 e tornou-se um dos símbolos da globalização. Sua criação possibilitou o envio e recebimento de mensagens instantâneas e estabeleceu novas formas de vender e comprar produtos. Porém, ela também apresenta alguns pontos negativos, as fake news por exemplo.

O acesso à internet é bem democrático e isso faz com que qualquer pessoa consiga entrar e escrever em sites e redes sociais. Essa facilidade e o excesso de informações compartilhadas em canais como Facebook e WhatsApp possibilitam fazer a divulgação de maneira automática e sem checagem.

Neste material, explicaremos um pouco mais sobre as fake news! Acompanhe!

O que são as fake news?

O termo fake news ou notícias falsas é utilizado para categorizar mensagens mentirosas, imprecisas, mas que aparentam ser verdadeiras. Esse tipo de informação já existe há bastante tempo, porém, com a internet, ganhou um novo formato.

Se antes as notícias falsas poderiam ser identificadas rapidamente, hoje os produtores desse conteúdo empregam vários recursos para passar veracidade aos materiais disseminados. Por exemplo: uso de domínios de sites parecidos com domínios reais,  detalhamento das situações, citação de pessoas amplamente conhecidas, entre outros.

Quando surgiram?

Elas não nasceram junto com a internet. Embora o termo tenha se popularizado recentemente, já era utilizado pelos jornais desde a década de 1890. O artigo publicado no The Buffalo Commercial, de Nova York, declarava: “O gosto do público não aprecia as fake news e as poções de demônio especial”.

É comum encontrar notícias falsas ou manipuladas em revistas e jornais sensacionalistas. Entretanto, se o ambiente de divulgação é a internet, parece que a facilidade em percebê-las aumenta.

Como identificá-las?

Leia a notícia completa

A grande maioria das pessoas lê apenas o título e o resumo da notícia antes de compartilhá-la. O problema é que produtores de notícias falsas podem alterar a imagem e o texto da miniatura que é exibida no feed e colocar um conteúdo diferente dentro da notícia.

A partir da leitura do material completo, é possível perceber se o que a manchete traz é realmente verdade ou apenas uma chamada com trechos tirados de contexto/com pouca credibilidade.

Analise data e nome do veículo

Ao abrir um conteúdo duvidoso, analise o nome do veículo e a data em que a notícia foi publicada. A Associação dos Especialistas em Políticas Públicas de São Paulo listou os 10 sites que mais compartilham notícias falsas.

Além disso, a pesquisa mostrou características comuns entre essas páginas: domínios registrados com “.br” ou “.com”, conteúdos não assinados, layouts poluídos com excesso de propagandas e notícias opinativas.

Identifique elementos jornalísticos

Durante a leitura, é necessário identificar elementos utilizados em conteúdos jornalísticos. Primeiro, o texto não deve conter erros de português. Também devem ser explicitados o nome e cargo das fontes, bem como a data do fato. Desconfie de notícias de ampla importância que foram divulgadas apenas por um site.

Na dúvida, faça uma busca no Google e veja se outros meios de comunicação de notório reconhecimento também falaram algo sobre o assunto. O site boatos.org é uma boa opção para verificação, uma vez que agrupa e desmente os principais rumores que circulam na internet.

Quais são as desvantagens?

As desvantagens das notícias falsas são inúmeras. Além de espalharem conteúdos alarmistas e sem fundamentação, elas podem acabar com a reputação das pessoas. Uma pesquisa feita pelo MIT revelou que a chance de uma notícia falsa ser compartilhada é 70% maior do que uma verdadeira.

Esse cenário é negativo principalmente para o segmento da política. O ano de 2018 será muito importante para o combate das fake news no Brasil. Com a proximidade das eleições presidenciais, caberá a cada candidato resguardar-se de notícias falsas e criar conteúdos para negá-las rapidamente. O Facebook também está empenhado em identificar e punir os produtores desse tipo de material.

É possível perceber que os grandes disseminadores das fake news são usuários que não checam a veracidade das notícias, criando um ciclo de inverdades no ambiente virtual. E você? Já identificou algum boato absurdo na internet? Deixe um comentário!

No Comments
Post a Comment