Partners Comunicação Pro Business

Como as empresas podem acelerar a transformação digital?

A transformação digital está em curso e promete continuar por um longo tempo. Na verdade, sua continuidade tende a ser ininterrupta. As empresas procuram, de todas as maneiras, acelerar essas mudanças para se tornarem mais competitivas e produtivas.

A evolução tecnológica vem determinando novos rumos para o mundo dos negócios. Novos conceitos surgem e são assimilados pelas empresas, passando a fazer parte do processo de gestão.

Veja como as companhias estão acelerando para garantir a transformação digital!

O que é a transformação digital?

A transformação digital consiste em um processo em que as organizações utilizam a tecnologia a fim de otimizar a performance, ampliando o alcance e conquistando resultados mais satisfatórios.

Trata-se de uma modificação estrutural dentro das empresas, conferindo um papel fundamental e estratégico à tecnologia. 

As organizações que surgiram antes do advento da Internet tendem a passar por um processo de grandes ajustes a fim de se manterem no mercado, adotando as novas tecnologias e acompanhando o ritmo das empresas mais modernas. É, sem dúvida, um grande desafio, mas não é impossível.

Não são somente grandes empresas que estão engajadas nesse processo. A verdade é que a transformação digital não se resume a um processo de mudança limitado a quem tem mais dinheiro. É necessária, antes de tudo, uma mudança de visão em relação à Era Digital, compreendendo todos os detalhes que produzem a transformação. É fundamental trabalhar de forma colaborativa para alcançar os melhores resultados.

Enfim, é mais um processo que envolve a gestão da empresa como um todo que somente um processo abrangendo os aspectos tecnológicos e o setor de marketing. Ela engloba a reestruturação de métodos e operações, bem como a assimilação da cultura digital com o objetivo de aumentar ganhos na produtividade de formas diversas:

  • aprimorar a experiência com o cliente;
  • comercializar produtos de maneiras diferentes e aperfeiçoar os serviços;
  • melhorar a cadeia produtiva;
  • dar mais suporte para a tomada de decisões acertadas.

Quais os impactos na sociedade?

Não se pode negar que essas mudanças produzem um impacto geral na sociedade. Essa conclusão instiga os gestores ao desenvolvimento de programas empresariais que acompanhem essas mudanças.

A utilização da tecnologia está transformando a rotina das pessoas, e as coisas tendem a ficar mais rápidas. Há também um volume elevado de informações para administrar — um volume que não para de aumentar. As pessoas, por sua vez, ficam mais distraídas e mais exigentes. Existe uma evidente mudança de comportamento, fato que determina novos padrões de percepção das coisas, de organização do estilo de vida, e assim por diante.

Para as pessoas em geral, a vida tornou-se mais fácil, considerando que produtos e serviços automatizados geram maior comodidade aos usuários, contrastando com a forma de vida levada há alguns anos. No caso de serviços de utilidade pública (bombeiros, hospitais, segurança), a tecnologia vem contribuindo para salvar mais vidas e para controlar e evitar situações perigosas, como assaltos.

Além disso, em relação aos custos, quanto mais demandada for uma tecnologia, mais seus preços tendem a cair e a ficar mais acessíveis à maioria dos usuários (sejam pessoas físicas, sejam empresas).

Contudo, aparecem também alguns transtornos. Muitas companhias ainda não estão prontas para atender as exigências dos clientes. O ato de digitalizar durante o processo de compra sem se preocupar com o que o público pensa ou acha também pode gerar alguns conflitos.

Em relação à saúde, muitas pessoas se acomodam e acabam ingressando em uma vida de sedentarismo, automatizando tudo no cotidiano e deixando de praticar exercícios físicos, dar caminhadas e passear na praia, por exemplo.

Como as coisas ficam mais fáceis com a tecnologia, os indivíduos tendem a usar as ferramentas digitais para tudo: escrever, fazer contas, comunicar-se com amigos e parentes (essa comunicação a distância, na verdade, aproxima mais as pessoas, mas pode gerar problemas quando se deixa de fazer visitas presenciais, substituindo-as somente pela comunicação digital).

Assim, o desenvolvimento digital oferece tanto soluções quanto alguns problemas que precisam ser sanados.

Quais os impactos nas empresas?

Nas empresas, os impactos se refletem de diferentes formas. Os e-mails, por exemplo, criados em 1971, anteciparam-se à própria evolução da Internet e contribuíram para que ela ocorresse. Hoje, usados tanto na vida pessoal quanto nas empresas, facilitam a troca de informações, o que pode otimizar o trabalho dentro de uma organização. Existem até contas de e-mails que são exclusivamente corporativas, usadas apenas para questões de trabalho.

A transformação digital está associada ao desenvolvimento de fluxos e processos de trabalho transparentes, à análise de dados sobre o cliente e, a partir disso, à tomada das melhores decisões (data-driven).

Os funcionários precisam de capacitação para usar corretamente as novas ferramentas, aproveitando tudo que elas podem oferecer de melhor, pois, somente assim, haverá um desempenho satisfatório no trabalho individual e na produção dos produtos e serviços.

O trabalho colaborativo torna-se uma consequência direta da aplicação da tecnologia, já que ela procura, em sua grande maioria, favorecer a integração e aprimorar a comunicação. Uma comunicação ampliada facilita, por sua vez, a disseminação do conhecimento dentro da corporação.

Gradualmente ou até rapidamente (dependendo de como a empresa assimile as mudanças), haverá uma migração ou integração entre os ambientes off-line e on-line. O ambiente da Internet é fundamental para que as mudanças digitais se consolidem, pois é na Internet que acontece boa parte desses processos (por meio de relacionamento nas redes sociais; construção de blogs, sites, plataformas, fóruns; uso de tecnologia cloud computing; desenvolvimento de e-commerce etc.).

Os consumidores da Era Digital são imediatistas, desejando respostas no momento exato em que fazem os questionamentos. A empresa que consegue responder a todas as dúvidas do consumidor tem ascendência sobre as outras. O marketing da companhia precisa encarar esse desafio e vencê-lo, pois, somente assim, a organização será competitiva, capaz de enfrentar a concorrência.

À medida que o comportamento do público consumidor muda, deverá mudar também a forma de trabalhar o marketing corporativo. Por isso, a análise de dados é uma operação basilar para acompanhar as mudanças de comportamento do consumidor e as tendências de mercado. Além disso, a quantidade de dados que podem ser úteis cresce exponencialmente, e a empresa precisa coletá-los, analisá-los, classificá-los e transformá-los em informações valiosas.

As mudanças positivas que os processos tecnológicos oferecerão, melhorando o nível de produtividade, são inquestionáveis. Podemos resumir os diferentes aspectos favorecidos pelas mudanças em:

  • comunicação estratégica: a comunicação se tornará muito mais rápida, agilizando processos;
  • acesso às informações: os processos passarão por automatização e compartilhamento digital em tempo real;
  • integração de diferentes setores: as transformações são efetivadas em todos os setores, mantendo constante integração;
  • decisões fundamentadas em dados: decisões com base em dados confiáveis são mais acertadas (alguns recursos, como Big Data e a análise de dados, contribuem para essas decisões mais seguras);
  • organização: nas empresas digitais, muitos processos de trabalho diferenciados são uma realidade que costuma funcionar (como o compartilhamento do espaço de trabalho ou coworking; e o trabalho em casa ou home office);
  • automação das tarefas: automatizando tarefas, os funcionários poderão se dedicar com mais afinco ao estudo e à elaboração de estratégias, sem ter que dispender seu tempo na avaliação de relatórios muito longos;
  • monitoramento do desempenho: usando determinadas ferramentas (especialmente on-line), será mais fácil avaliar a performance da equipe de trabalho, o que permitirá uma análise mais segura de campanhas e a tomada de decisões mais equilibradas e realistas.

O que fazer para se adaptar à transformação digital?

Primeiramente, são necessárias uma mudança de pensamento e a incorporação da cultura digital. Não adianta falar em transformação digital se existe resistência às novas ideias, à inovação tecnológica. Tanto os líderes quanto seus colaboradores devem estar de mente aberta para as mudanças, dispostos a cooperar e a criar um ambiente colaborativo, que é essencial para que toda transformação realmente frutifique.

Depois, é preciso desenvolver uma infraestrutura que seja minimamente adequada às novas ferramentas. Há certa dependência em relação aos hardwares, softwares, estruturas em nuvem, redes e outras coisas.

Na verdade, o processo de transformação digital dividiu-se, historicamente, em 3 etapas. Estas etapas podem ser desenvolvidas dentro de uma empresa até que ela alcance o ápice das mudanças:

  • digitização;
  • digitalização;
  • transformação digital.

Digitização

A digitização é a fase em que acontece a transição da informação analógica para um formato digital. Consiste na representação de sinais, imagens e sons no ambiente eletrônico por meio de valores binários (0 ou 1). Os dados se transformam em bits e passam a ser armazenados no interior de certos dispositivos eletrônicos.

O sistema numérico binário tem uma longa história. Já no século III a.C., o indiano Pingala desenvolveu um sistema binário usando algarismos de 1 a 8. O nosso sistema numérico binário usado atualmente, no entanto, foi registrado em detalhes por Leibniz, matemático do século XVIII, na obra “Explicação da Aritmética Binária”. 

Isso mostra o quanto o desenvolvimento digital foi lento durante os séculos anteriores, tomando impulso sem precedentes já no final do século XX.

Enquanto o código binário é fácil de ser compreendido e decifrado pelos computadores, ele é mais complicado para as pessoas. A ideia por trás do sistema é, conforme defendia o matemático George Boole (1815-1864), representar todos os números (que são infinitos) usando somente dois algarismos: 0 e 1.

Para as indústrias, o código binário tornou-se uma ferramenta digital muito valiosa, protegendo com total segurança informações confidenciais.

Digitalização

Essa etapa é mais avançada que a primeira. Consiste nas modificações concretas efetuadas nas empresas por meio da tecnologia. Nesse estágio, já podem ser implementadas algumas soluções, como Big Data, Business Intelligence, IoT (Internet das Coisas), criptomoedas, blockchain e outras opções.

Ainda não é muito comum as empresas negociarem usando as criptomoedas (como Bitcoin), no entanto, isso é possível, sim e, nos EUA, essa estratégia é adotada em algumas corporações e situações específicas.

A fase da digitalização envolve Tecnologia da Informação (TI), mas não se limita somente a ela. Trata-se de fazer uma abordagem holística das ferramentas digitais com a finalidade de gerar mudanças positivas.

Transformação digital

Finalmente, podemos falar da transformação digital propriamente dita. Trata-se das consequências totais e efetivas da digitalização sobre a empresa. Assim, implementando-a de forma integral na organização, aparecerão melhores oportunidades de mudanças e evolução.

Para implementar programas de transformação digital, talvez o gestor precise mexer nas estruturas socioeconômicas e nos padrões da companhia, derrubando barreiras e definindo novas normas.

Pode-se, enfim, afirmar que a primeira etapa, a digitização, é a conversão; a digitalização, o processo; e a transformação digital, o efeito.

Quais as soluções digitais?

Existem diferentes soluções digitais que a empresa pode utilizar para implementar seu programa de mudanças.

Redes sociais

Uma delas é aplicar estratégias de redes sociais, como Facebook, Twitter, LinkedIn e Instagram. Também convém a criação de blogs com conteúdo interessante e sites que permitam ao consumidor efetuar a compra de produtos ou a contratação de serviços on-line, sem a necessidade de deslocamentos físicos.

As redes sociais possibilitam à empresa conquistar determinados resultados, como a ampliação do alcance digital, já que a organização terá a oportunidade de atingir novos consumidores e um novo público por meio de compartilhamentos e da facilidade de publicação nessas redes. As mídias sociais podem até abrir caminho para a empresa construir sua loja virtual, criando seu comércio eletrônico.

Computação na nuvem

Algumas companhias já nascem digitais, ou seja, o que elas oferecem existe exclusivamente no ambiente digital, como o Software Como um Serviço (SaaS), que funciona somente na nuvem. Não se vende a licença do software, mas ele é ofertado como um serviço e o usuário paga apenas pelo que usa.

Com a tecnologia cloud computing (computação na nuvem), muitos recursos digitais tornaram-se mais acessíveis, inclusive em relação aos custos, o que favorece a transformação para empresas de médio e pequeno porte.

Fintech

As fintechs são exemplos de soluções digitais, pois oferecem serviços financeiros, aproveitando a tecnologia a custos menores que em outras instituições. Ademais, ofertam serviços de pagamento variados, como transferência de dinheiro, cartão de crédito e boleto.

Algumas podem oferecer, inclusive, serviços de gestão financeira e de empréstimos.

Caixa eletrônico

O caixa eletrônico é mais um exemplo vívido da transformação digital facilitando a vida de todos. Pode-se dizer que foi uma das melhores soluções criadas para agilizar as transações bancárias (pagamentos de contas diversas, transferências, depósitos, saques, consultas de saldos e extratos e outras coisas), eliminando a necessidade de enfrentar filas longas e morosas.

Hoje, algumas empresas, como supermercados, lojas e farmácias, bem como shoppings centers, disponibilizam caixas eletrônicos para seus clientes e até para terceiros.

Dessa forma, essas organizações melhoram seu relacionamento com a comunidade, agregando mais valor ao atendimento, que vai além de simplesmente servir o consumidor em troca de alguma remuneração.

Big Data e data-driven

O volume de dados cresce, anualmente, em torno de 40%. Seguindo o aumento no volume de dados, desenvolveu-se um elevado crescimento em ferramentas tecnológicas de produção criativa e de automação. Atualmente, com o uso do Big Data e do data-driven marketing, as empresas podem tomar resoluções fundamentadas em análises e dados confiáveis.

O gestor deve avaliar esses dados e convertê-los em informações que deem suporte a um planejamento eficaz.

Cabe ao gestor, ainda, definir novas maneiras de monetizar e de alavancar os dados a seu dispor, incorporando a análise a todos os aplicativos e canais da empresa.

Internet das Coisas

Conforme o IDC 2016, 31,4% das empresas pesquisadas ofereceram soluções de Internet das Coisas (IoT) e 43% mostraram interesse em implantar IoT nos 12 meses seguintes. A Internet das Coisas conecta diferentes interfaces além das mais usuais (computadores, smartphones e tablets).

Em combinação com sistemas automatizados, esses dispositivos podem auxiliar na coleta de informações em tempo real, em sua análise e na produção de soluções de acordo com a demanda e as necessidades. A IoT, integrando diferentes recursos da empresa à Internet, facilita a visibilidade on-line e atrai a atenção dos internautas.

Essa tecnologia permite a concentração em soluções finais, ofertando valor real aos clientes. Também favorece o uso de dados para gerar experiências personalizadas de usuários e tornar os serviços mais eficientes.

Inteligência Artificial

A aprendizagem de máquina aplica algoritmos diversos a fim de trabalhar com os dados de maneira mais eficaz. A IA não precisa de avaliação humana e tem capacidade de tirar conclusões, baseando-se nas informações que captou.

Ela também melhora as operações de marketing, automatizando-as.

Os chatbots são uma das mais promissoras inovações de IA, muito procurados pelas empresas com a finalidade de melhorar o relacionamento com o cliente, oferecendo atendimento por meio de interfaces de voz. Um chatbot aprende à medida que interage com os seres humanos.

Alguns aplicativos podem ser acionados por voz, responder perguntas e efetuar tarefas. Outros integram plataformas de conversas e permitem a personalização das funções.

Com a IA, a maneira como as empresas realizam marketing mudará radicalmente, pois as informações recolhidas dos clientes serão bastante variadas e segmentadas.

Business Intelligence

Trata-se de uma ferramenta que separa, a partir de sua análise, o que efetivamente pode ser útil daquilo que não é valioso, facilitando a tomada de decisões do gestor. O BI é uma ferramenta que oferece ótimos resultados quando usada juntamente ao Big Data, pois facilita a coleta dos dados e a mensuração do desempenho.

Softwares de BI permitem um acompanhamento em tempo real do funil de vendas. Também identificam padrões de comportamento, reconhecendo os clientes que mais dão lucros.

Outras soluções

A automação de marketing facilita o trabalho da equipe que atua nesse setor, analisando dados, customizando o atendimento e otimizando a experiência dos consumidores.

A Realidade Virtual (VR) e a Realidade Aumentada (AR) permitem novas formas de apresentar e entregar os produtos aos clientes. Elas possibilitam que o consumidor veja determinado item em sua escala real e possa “tocá-lo” a distância.

Quais as maneiras de acelerar a transformação digital?

Neste tópico, vamos resumir algumas formas para acelerar a transformação digital em sua empresa:

  1. abra sua mentalidade para as novas ideias e as mudanças;
  2. pense muito além de sua própria equipe;
  3. alinhe salários, treinamentos e métricas (KPIs) às estratégias e metas digitais;
  4. capacite os funcionários a compreender o funcionamento e o desenvolvimento digital;
  5. desenvolva políticas e tenha tecnologias para suportar funcionários remotos e com métodos de trabalho mais flexíveis (home office, por exemplo);
  6. esteja sempre informado e atualizado;
  7. designe um líder de IA;
  8. automatize todas as atividades e estimule ofertas self-service para os clientes;
  9. desenvolva uma mentalidade de otimização e experimentação;
  10. organize discussões internas envolvendo os conceitos novos e as tendências;
  11. compartilhe conhecimentos.
  12. seja proativo e interprete o mercado, considerando o longo prazo e o que promete a revolução tecnológica (crie hipóteses e faça testes, focando sempre na efetiva entrega de valor ao cliente);
  13. leia muitos livros sobre transformação digital;
  14. desenvolva ciclos rápidos para interação e aprendizado, alcançando, assim, velocidades em larga escala, mudança cultural fundamentada em novos hábitos de trabalho e modificações na gestão/liderança;
  15. adapte os princípios da filosofia Lean para a transformação digital.

Conforme a filosofia Lean, os princípios básicos são: identifique o que é importante sob o ponto de vista do cliente e entregue valor com rapidez e continuidade; identifique as etapas que adicionam valor e use-as nos processos, evitando desperdícios; mantenha o fluxo contínuo para atender prontamente as demandas do cliente; invista na produção puxada (fazer o que o cliente pedir, mas quando necessário, para não gerar desperdícios) e procure constantemente aprimorar pessoas, processos e produtos/serviços.

Espera-se que a filosofia Lean seja o elemento que impulsionará a transformação digital em milhares de organizações pelo mundo.

Acelerando essas mudanças, certamente, a empresa terá sua reputação de marca ainda mais valorizada.

Preciso contratar um parceiro para me auxiliar?

É importante fazer parcerias para acelerar o processo de transformação digital, pois existem empresas especializadas em orientar outras companhias, fornecendo assessoria direcionada para os problemas e as dificuldades do negócio, ou seja, oferecendo atendimento personalizado.

Lidar com grandes transformações não é fácil, mas, ao contratar uma agência de comunicação integrada, o gestor terá apoio representado por conhecimentos específicos, experiências e suporte tecnológico para conseguir se ajustar às mudanças com sucesso — ele e toda a sua equipe.

Com assessoria especializada, a transição para a digitalização não se torna traumática e (o que é mais importante) não envolve gastos desnecessários com muitas soluções tecnológicas ou com ferramentas complicadas demais que, muitas vezes, nem servirão aos propósitos da organização.

A transformação digital é uma realidade para onde convergem todos os negócios, todas as organizações. Ela pode oferecer inúmeros benefícios, ajudando a garantir um espaço no mercado concorrido e vulnerável às crises econômicas. É preciso, contudo, compreendê-la e dispor-se a incorporá-la.

Está precisando de uma agência para lhe dar boas orientações sobre esse processo? Entre agora mesmo em contato com a Partners Comunicação Integrada! Nossa equipe terá o maior prazer em esclarecer suas dúvidas.

No Comments
Post a Comment