Partners Comunicação Pro Business

Como fazer um planejamento de relações públicas na comunicação integrada?

A atuação de relações públicas foi, por muito tempo, o principal instrumento de comunicação das empresas. Hoje, a estratégia permanece válida, mas está integrada a outras possibilidades.

Os braços da comunicação se unem a várias alternativas, e, por isso, o RP se alia a questões como assessoria de imprensa, marketing e assim por diante.

Assim, para obter os melhores efeitos, um planejamento de relações públicas na comunicação integrada é essencial.

Esse processo ajuda a definir aspectos relevantes da atuação e, com isso, traz mais chances de sucesso. Como considera vários elementos, também aumenta o potencial de obter bons resultados com a empreitada.

A seguir, veja como e por que é tão importante fazer um planejamento de relações públicas na comunicação integrada.

Qual a importância de um planejamento de relações públicas?

A atuação em relações públicas passou por várias modificações recentes. Hoje, o profissional já não trabalha com áreas que, historicamente, pertenciam ao seu conjunto de funções.

A gestão de brindes, por exemplo, pode ser uma missão de outros profissionais.

Dentro da proposta de comunicação integrada, é essencial que as áreas conversem. Então, o ideal é estabelecer um plano que considere esses aspectos. Como resultado, é possível definir as funções com mais clareza e eficiência.

Além disso, um planejamento de relações públicas sempre se adapta às necessidades da empresa. Independentemente do tipo e do tamanho do negócio, é possível determinar qual é a visão indicada para cada objetivo a ser alcançado.

É, portanto, um elemento que ajuda a utilizar os melhores recursos de RP em busca de consequências específicas e desejadas.

Como realizar esse planejamento de forma eficiente?

Elaborar um planejamento de relações públicas na comunicação integrada exige uma atuação personalizada e capaz de explorar melhor os recursos disponíveis.

Então, o processo tem que ser feito de forma eficiente e voltada para alguns aspectos. A seguir, veja quais são os principais passos.

Entenda o cenário da empresa

A princípio, é fundamental entender o que o estabelecimento espera, em qual situação ele se encontra e qual é a sua visão de comunicação.

Não existe uma receita pronta e que é válida para todos os cenários. Em vez disso, é fundamental avaliar, caso a caso, o que considerar para desempenhar um resultado melhor.

Depois de reconhecer a necessidade, é o momento de identificar o que já tem sido feito ou que será executado. Já que ela deve ser integrado, o processo de RP precisa considerar os impactos de outras formas de comunicação.

Se a empresa já possui uma estratégia de assessoria de imprensa ou de presença digital, por exemplo, isso tem que ser levado em conta para decidir quais são os objetivos e os modos de atuação da parte de relações públicas.

Defina as melhores ações

A partir desse reconhecimento inicial, é o momento de estabelecer quais são as ações executadas pela equipe de RP. A ideia é identificar o que se encaixa nesse braço da comunicação e o que pode ser feito de modo alinhado às outras estratégias.

É o caso de especificar, por exemplo, a compra de brindes, um evento de relacionamento ou a estruturação de material gráfico. Tudo deve ser condizente com os objetivos e com as possibilidades, de modo a definir ações que sejam realmente estratégicas.

Use a tecnologia a favor

Ao elaborar um planejamento de relações públicas na comunicação integrada, é muito benéfico ter o apoio da tecnologia. Ela oferece mais visibilidade, diminui a burocracia e garante uma atuação dinâmica.

Uma das tendências consiste em usar plataformas, softwares ou aplicativos que rompem as barreiras de visualização. O Trello, por exemplo, permite acompanhar o planejamento online, na hora ou no local que quiser.

Dá para compreender quais são as ações previstas, as que estão em execução e que já foram concluídas. Assim, é muito mais fácil entender o processo.

Acompanhe e utilize os resultados

O planejamento não é e nem deve ser encarado como estático. Dependendo dos resultados obtidos ao longo da execução, ele pode —  e precisa — ser modificado. Inclusive, isso faz parte de uma abordagem que considera o elemento como algo cíclico, em vez de como um recurso que tem princípio, meio e fim.

Portanto, é essencial estabelecer métricas para acompanhar o desempenho e usar relatórios que definem o que tem sido alcançado. A partir da avaliação de métricas, dá para ajustar a atuação e conseguir uma performance melhor.

Quais os principais fatores que devem ser levados em consideração?

Para construir um planejamento de relações públicas na comunicação integrada, alguns fatores têm que nortear as decisões.

Com o apoio desses elementos, fica mais fácil elaborar um plano eficiente e com boas chances de sucesso. A seguir, veja o que deve ser avaliado.

Necessidades específicas

Como dito, a atuação de relações públicas é pensada de forma pontual e voltada para cada empresa. Então, um dos elementos que merecem maior atenção é o conjunto de necessidades do empreendimento.

Entre os aspectos, há questões como relacionamento com o público interno ou externo, o aumento da presença de marca, o fortalecimento da visibilidade nas redes sociais, a realização de eventos de qualidade e assim por diante. Cada uma exige uma abordagem especial, então é para isso que serve o plano.

Orçamento

Outro ponto crucial é o montante disponível para o investimento nessa etapa. De forma geral, o orçamento ajuda a definir certas características das ações.

Um valor maior, por exemplo, permite recorrer a um material gráfico mais elaborado ou executar um evento de grande robustez.

Mesmo ações com orçamento pequeno são válidas e eficientes, mas é preciso que haja uma adaptação a essa questão de disponibilidade.

Prazo

Há, ainda, a necessidade de avaliar o prazo pelo qual o planejamento vai valer. É muito comum que as empresas façam definições pensando em um ano completo. No entanto, mesmo nesse cenário é possível recorrer a possibilidades menores.

É o caso de um planejamento anual que conta com especificações mensais, bimestrais e semestrais, por exemplo.

O ponto principal de considerar o tempo como elemento é que dá para estabelecer um cronograma que considera as diferentes necessidades quanto à obtenção de resultados.

Como uma agência especializada por ajudar a desenvolver e executar esse planejamento?

Para que o plano realmente considere uma comunicação integrada, é altamente recomendável ter o apoio de uma empresa especializada.

A ajuda de uma agência qualificada para a tarefa permite contar com uma equipe devidamente preparada e capaz de prever os melhores impactos.

Além disso, é essencial que a agência atue como uma parceira estratégica. É fundamental poder aproveitar o apoio de forma prolongada para que a comunicação integrada gere resultados contínuos.

Para completar, a contratada também deve ser capaz de propor soluções específicas, trazer alternativas testadas em outros clientes e oferecer novos caminhos. Como consequência, a atuação se torna cada vez melhor.

O planejamento de relações públicas na comunicação integrada é essencial para aproveitar todas as possibilidades. Com a elaboração correta e, principalmente, com o apoio de uma agência robusta, é possível conquistar os melhores resultados.

Como a contratação é tão importante, entre em contato com a Partners e descubra o que podemos fazer pelo seu negócio.

No Comments
Post a Comment