Back to top

Instituto de Protesto-MG alerta para “golpe do protesto falso” via telefone

Um novo golpe envolvendo protestos tem ocorrido em Minas Gerais. Um criminoso liga para a vítima se passando por um funcionário dos Correios e diz que há um título de protesto em aberto. O farsante avisa que o título vence naquele dia e que tentou diversas vezes entregar a intimação pessoalmente, mas não conseguiu. Então ele passa um suposto número de telefone e orienta que a vítima entre em contato para negociar a dívida. Ao ligar para o número indicado, o integrante da quadrilha pede um depósito imediato em conta corrente para evitar que o protesto seja efetivado.

O Instituto de Protesto-MG, entidade que representa os cartórios de protesto do estado, informa que cartórios de protesto não entram em contato com devedores por telefone ou e-mail. “Nenhum título protestado é pago com transferências bancárias ou depósitos em conta corrente. A quitação só pode ser feita diretamente com o credor ou pessoalmente no cartório”, orienta Carlos Londe, tabelião e representante do Instituto de Protesto-MG.

Ele acrescenta que o devedor tem um prazo de três dias úteis para efetuar o pagamento antes que o protesto seja efetivado e, que pode ser feito diretamente no cartório ou via boleto, para os tabelionatos que adotem esse procedimento. “Além disso, se houver dúvida ao receber uma cobrança, a pessoa deve telefonar para o cartório de protesto antes de adotar qualquer atitude”, diz.

Em caso de dúvidas, Londe informa que no site protestomg.com.br consta o telefone de todos os cartórios do estado e que os interessados podem ligar e se informar.

Além disso, por meio do site protestomg.com.br ou pelo aplicativo “Consulta Protesto”, do Instituto, é possível descobrir, gratuitamente, se uma pessoa ou empresa, possui protestos em seu Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ).

 

Entidade esclarece que títulos protestados não são pagos com transferências bancárias ou depósitos em conta corrente