Partners Comunicação Pro Business

Indicadores econômicos para 2020

Indicadores econômicos: saiba qual o prognóstico para 2020

A instabilidade econômica do Brasil ainda é muito significativa, o que impede que o país apresente melhores índices de crescimento neste segundo semestre. Diante disso, desenvolvemos este post para abordar mais detalhes da conjuntura econômica, os impactos disso no mercado e o prognóstico do que pode estar vindo por aí. Boa leitura!

 

 

Quais os indicadores da realidade econômica brasileira?

Especialistas projetam crescimento de 0,9%do PIB neste ano e 1,8% em 2020, fato que compromete a performance de muitos setores produtivos.

Na Agropecuária, por exemplo a perspectiva é de que a performance passe de 1,1% para 1,8%. Em contrapartida, a indústria apresentou ligeira queda de 0,2 para 0,1%. O mesmo não acontece com a construção civil que teve os números revisados, passando de 0,3% para 0,1%.

Já o setor de serviços manteve performance de 1%, com destaque para os segmentos do comércio, serviços de informação, atividades imobiliárias e aluguel de outros serviços.

Já existe uma sinalização de recuperação econômica?

No que diz respeito às projeções para 2020, os números do Banco Central trazem uma perspectiva de elevação nos setores de agropecuária, indústria e serviços de aproximadamente 2,6%, 2,2% e 1,4%, respectivamente.

Além disso, a taxa de previsão de consumo das famílias deve passar de 2,6% para 2,9%. Já as exportações e importações devem girar em torno de 2,2 e 2,9%.

Quais as áreas que estão em alta na economia?

Ainda falando sobre as estimativas para o ano que vem, é importante saber quais as áreas promissoras e com perspectiva de crescimento do mercado de trabalho. Neste contexto, confira algumas daquelas que apresenta boa perspectiva de crescimento:

Designer Especialista em UX

Profissional que trabalha com desenvolvimento de design de interfaces como sites e aplicativos, com o objetivo de atender as diversas necessidades dos usuários.

Entre os pré-requisitos para atuação nesta área estão a necessidade de expertise em várias áreas e conhecimento sólido na área de tecnologia.

Cientista/Engenheiro de Dados

É necessário por analisar informações determinados segmentos, com o objetivo de interpretá-las e extrair indicadores fundamentais para nortear tomadas de decisões. Além disso, tais dados servem de subsídios para os profissionais desenvolverem as melhores soluções para os clientes.

Desenvolvedor Mobile

É a pessoa responsável por criar e recuperar aplicativos de dispositivos móveis. Possui um vasto de campo de atuação que passa por apps financeiro até games.

Ter conhecimento em programação é uma das exigências essenciais para atuação nesta área.

Analista de Search Engine Optimization (SEO)

O Analista de SEO vai usar técnicas para melhor posicionar sua empresa no ranking de pesquisa do Google, por meio de ferramentas de marketing digital.

É necessário ter sólido domínio de algoritmos e ferramentas de publicidade online e também das técnicas de SEO. Sobre os conceitos e novas tendências que este profissional precisa saber sugerimos a leitura do artigo “10 tendências tecnológicas que vão revolucionar a comunicação digital”, que está em nosso blog

Analista de Supply Chain

Em vários setores produtivos aquele profissional que cuida da mercadoria, preservando o seu translado operacional e logístico, têm importância fundamental para o negócio.

Entre as exigências para atuação estão o amplo conhecimento de todos os trâmites operacionais, além de se manter atento às inovações.

Analista de BI (Business Intelligence)

Profissional responsável por extrair indicadores de uma empresa, observar padrões de consumo e apontar melhorias no funcionamento, visando a otimização do negócio.

Profissional precisa lidar bem com os números e saber como fazer com que as pessoas compreendam tais dados.

Quais os impactos dos indicadores econômico nas áreas de comunicação e marketing?

O cenário econômico no Brasil ainda é instável em vários setores. Porém, nas áreas de comunicação e marketing a perspectiva é de que os números vão se manter estáveis e subindo gradualmente.

A consultoria PWC promoveu um estudo para traçar um raio-x do comportamento do público consumidor e os investimentos do mercado publicitário. A pesquisa realizada em aproximadamente 53 países projeta ainda uma evolução gradual do segmento ao longo dos próximos anos.

Em âmbito mundial, a perspectiva é que os investimentos em publicidade digital chegue a US$ 468 bilhões até 2023. No Brasil, esse valor ficou em US$ 3 bilhões no ano passado e deve dobrar até lá, chegando a US$ 6 bilhões.

Para a publicidade tradicional a perspectiva é de estabilidade. Em números absolutos de todos os países, o valor deve subir de US$ 332 para 333 bilhões, já no Brasil passa de US$ 7 para 8 bilhões.

Ainda de acordo com a PWC, a publicidade nas plataformas digitais representam 30% do total de investimento e a perspectiva é que os investimentos em gestão de marketing respondam  por 50% de todo o montante.

Os formatos mais promissores são os podcasts, que têm perspectiva de crescimento de 43%, seguido na sequência por vídeo online (27%) e games online e eSports (17%). Os formatos que mais crescerão em investimento publicitário no País são podcasts, cujo investimento deve crescer 43% anualmente; vídeo online, com 27% de crescimento; e games online e eSports, com 17%.

Por sua vez, o mercado de mídia e entretenimento têm previsão de crescimento de 5,5% ao ano no Brasil, conforme a PWC. África e Oriente Médio são os países com maior expectativa de de evolução com crescimento de 8,5%.Atualmente, as receitas globais de entretenimento e mídia se concentram em maior parte nos Estados Unidos e China.

Conclusão

Os indicadores econômicos demonstram que, apesar da atual instabilidade econômica, o mercado de comunicação e marketing demonstra ter condições de se desenvolver e se tornar um importante aliado para o crescimento da sua empresa.

 

Gostou do artigo? A Partners é uma agência de comunicação integrada que pode ter a solução para a sua empresa. Acompanhe-nos pelo Facebook, Linkedin e Twitter.